Pesquisar este blog

sábado, 19 de agosto de 2017

Vicio, paixão ou obsessão...Não importa é o amor.



Vício, não.
Pode ser paixão, pode ser carência e pode ser obsessão.
Se você é viciada em alguém, não aceita romper e quando parece que esqueceu, sua decisão não suporta atender seus planos e então você, vai só até a metade do caminho: revolta, lágrimas, saudade e recaída.
E pára por aí ou insiste na recaída a ansiedade faz você cometer loucuras para ter o seu amor de volta e quando consegue cinco minutos com ele, atira-se com volúpia: fuma, cheira, bebe o cara até a última gota.
Depois?
Bem então vem uma inebriante sensação de cura e a conclusão rápida, você não precisa mais dele, pode muito bem passar sem ele. Você nem o acha tão atraente assim, e volta para casa sentindo-se um Hércules de saias: conseguiu vencer a si própria.
Passam-se então duas semanas e você liga para a companhia telefônica para saber se sua linha está com defeito, pois o telefone simplesmente não toca!
Seu carro também já não obedece suas ordens: dirige-se sozinho para a rua onde mora o querido, só para ver se o carro dele está em frente à garagem.
Está.
Então ele não voltou para Vênus, continua na cidade, você começa a suar frio, sente vertigens, derrama café nos colegas, treme ao segurar um copo, diagnóstico: crise de abstinência, então desesperada você o procura, precisa urgente de uma injeção de carinho na veia, necessita ser possuída, consumida, mas há no mundo uma única pessoa para isto, apenas e tão só, uma pessoa, ele.

O final dessa história? Não existe, pois ele precisa dela também, caso contrário nem abriria a porta, não a esperaria com beijos tão molhados e abraços tão enlaçados.
Reivindica-se a criação urgente de um AA: Apaixonados Anônimos. Assim como tem gente que, para vencer o alcoolismo, evita dar o primeiro gole, algumas pessoas precisam aprender a evitar o primeiro beijo para não reincidir num amor que pode fazer mal à saúde.
Mas vai tentar justificar a paixão ou a obsessão.

POR: Wcastanheira  Em delírios do poeta, hoje navegando nesta maluca e mágica obsessão do amor. Pra vcs bjinhos e bjinhos.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O amor sobrevive da persistência!!



Na Vida você aprende certas coisas, como sofrer, amar e perdoar.
E todas estas se combinam, porque você por vezes só saberá amar se sofrer e só saberá sofrer quando tiver a capacidade suficiente para perdoar e perceber que ninguém é perfeito, as vezes cansamos, por momentos parece que vamos desabar e esquecer de amar ou deixar de perceber que amamos e somos amados, pois somos imperfeitos porque precisamos de amor, se fossemos perfeitos não estaríamos sempre na procura da perfeição e muito menos a procura de um amor para nos completar!
Tem dias em que parece que nos falta a capacidade de entender nossos amores, nossas dores com os amores e desamores, tem momentos em que escolhemos nos encolher, desistir, deixar fluir esta vontade de parar com a tentativa de amar, tudo parece inútil, tudo parece impossível, a vida, as ocasiões nos levam à pensar se vale a pena tentar, esperar, investir no amor, mas aí vem o próprio amor e nos avisa...
Não desista, não desanime, insista, espere, cultive, pois é da desistência que vive o desamor, é da persistência que revive, o amor!!

POR: Wcastanheira Em delírios de um poeta, num momento onde parece q a musa cansa, parece q a musa vai desistir, parece q o desamor tomou conta do amor, mas se era amor, ora bolas, será sempre amor ainda q ferido, magoado, mas será amor. Pra vcs bjinhos e bjinhos.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Amar pode dar certo...Shinyashiki



O ser humano só pode existir em paz consigo mesmo se puder se relacionar com uma pessoa a quem diga, com palavras e gestos, "eu te amo" e de quem ouça com total sinceridade: "Eu também te amo".
Mas amar supõe evoluir todos os dias, conhecer o outro cada vez melhor, construir com ele um lugar no mundo em que as pessoas, ao entrar, sentirão que ali existe vida, carinho sincero, vontade de acertar.
Nos momentos de crise ou de mágoa, dizer "eu te amo" ao parceiro é ter a coragem de lhe dizer que ele fez algo de que você não gostou.
Nos momentos de alegria e êxtase, dizer "eu te amo" é saber compartilhar essa alegria com quem você ama, abrindo seu coração sem reservas.
Nos momentos de dor, dizer "eu te amo" é talvez não dizer nada, mas deixar evidente ao outro que você está ao seu lado aconteça o que acontecer.
Nos momentos em que você perceber que errou, a melhor maneira de dizer "eu te amo" é simplesmente dizer: "Desculpe pelo meu erro".
Nos momentos em que o outro errou, e está triste porque cometeu o erro, a melhor maneira de dizer "eu te amo" é se aproximar lentamente dele, colocar a mão em seu ombro e dizer suavemente: "Tudo bem, já ficou para trás, já passou ou simplesmente, está bom, passou".
Amar pode dar certo é a frase mais simples possível para traduzir a convicção de que nascemos para amar e ser amados, e que nossa felicidade consiste em realizar essa missão.

POR: Wcastanheira Em delírios do poeta, hoje copiando este mimo do Psicólogo Shinyashiki, para pensar, refletir. Pra vcs bjinhos e bjinhos.