Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Quando na cama, te vejo nua, abandonada


Quando na cama, te vejo estirada, dominada, assim despenteada e nua, solta, levE, abandonada, mas amada.
Penso na vitória do meu orgasmo, deliro em pensamentOs vazios, nosso quarto exala o aroma da paixão, teu corpo mostra o amor, a tesão..
Quando te beijo e adormecida apenas viras teu rosto lindo, acomodo teu cabelo, aliso tua pele e lentamente repouso meus lábios nos teus adormecidos, teu peito, como duas pérolas em tamanho exato, me levam ao delírio e tento mesmo cansado, mesmo por ti dominado, seguir meu caminho, mas qual soldado ferido, me abandono perdido na imensidão da tua selva de amor e ali repouso meu corpo cansado, ali deixo-me ficar, no teu regaço ei de adormecer e acordar, quando de novo teu rosto ver sorrir havemos de recomeçar ao ato de fazer amor, ao ato de acordar, para num novo dia, um para outro dizer de cada plano e aos beijos sussurrar, te amo.

Por; Wcastanheira Meditando sobre o ato de amar e o grande momento do descansar, pra vcs, bjos, bjos

4 comentários:

  1. ...abandonada, mas amada...

    nunca vi nada mais lindo e sublime!!!

    Pode apostar que essa é sua maior declaração em todo esse texto rico e intenso de paixão e amor.

    ResponderExcluir
  2. Ahh, quanta delicadeza de sentimentos! Simplesmente lindo o que escrevestes...
    Beijos de admiração!
    Helô

    ResponderExcluir
  3. Explêndido!

    Bom fim de semana amigo.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus!
    Que coisa mais linda esse post!
    Clap, clap! Palmas pra vc!
    Bjooo

    ResponderExcluir