Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Ah! Os relógios... Quintana nas Quartas feiras, ah! As quartas...


Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida -
acaso lhes indaga que horas são...
Mario Quintana - A Cor do Invisível

Por: Wcastanheira Nesta quarta feira de Quintana, uma observação, o poeta Anjo, não gostava das horas, era um adverso ao uso dos marca tempo, um dia encontrado usando relógio, foi questionado, saiu-se com esta, _ e posso eu, magoar um amigo que é chamado o Rei de Roma? Referia-se ao dileto amigo Falcão, do Internacional, que inclusive doou ao poeta um quarto especial no seu hotel Majestic no centro de Porto Alegre, hoje tombado como casa da cultura Mário Quintana, onde viveu até seus últimos dias, ao poeta couberam, boas e amigas amizades, pra vcs bjos e bjos.

13 comentários:

  1. Gostei muito.
    Hei,ve se ñ some ok,sinto falta de ti tá bom.
    Bela postagem,amigo é tudo de bom e assino embaixo.
    Beijokas millllllllllllll.

    ResponderExcluir
  2. pois é...como seria bom desfrutar da poesia sem saber hora, dia, ano rsrs

    grande Quintana...


    boa semana amigo.

    ResponderExcluir
  3. Gostei pq voltou da próxima vez venho te buscar pelas zorelhas rsrsrsrsrs
    Obrigado viu!!!
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  4. Oi Amigo

    Faz tempo que não visito a casa de cultura olhando me deu uma saudade
    Bjs e boa quarta

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo
    Como sempre gostei muito.

    Deixo beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. Poesia pode ser vivida, pois versos circulam pelo ar!!
    Maravilhoso!!!!
    Um grande abraço meu amigo
    Bea

    ResponderExcluir
  7. Oi! Hoje vou concordar com o comentário da Beatriz aqui em cima. Lindo!! Quando for em Porto Alegre quero ir com calma para conhecer a Casa de Cultura de Quintana.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. ...Não te abras com teu amigo
    Que ele um outro amigo tem.
    E o amigo do teu amigo
    Possui amigos também...
    Não é que este Quintana tem razão...rsrs
    Bjks doce em teu ♥,Andreza.

    ResponderExcluir
  9. Eu amo esse cantinho poetico, amigo mto obrigada pelo seu constante carinho

    ResponderExcluir
  10. Quanta magia nas palavras :D
    escreve muita bem
    Muito obrigada pelos elogios fico muito muito grata *-*
    Bela quarta
    beeijo

    ResponderExcluir
  11. Lindo, querido!
    beijos, beijos********

    *Vento do mar e o meu rosto no sol a queimar, queimar
    Calçada cheia de gente a passar e a me ver passar
    Rio de Janeiro, gosto de você
    Gosto de quem gosta
    Deste céu, deste mar, desta gente feliz

    Bem que eu quis escrever um poema de amor
    E o amor estava em tudo o que vi
    Em tudo quanto eu amei
    E no poema que eu fiz
    Tinha alguém mais feliz que eu
    O meu amor
    Que não me quis

    Valsa de uma cidade
    Ismael Netto e Antônio Maria*

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  12. No mÊs passado uma amiga de SP esteve aqui e a levei na Casa de CMQ, ela ficou encantada.
    Seria impossível ser o contrário.

    ResponderExcluir
  13. Amigo lindo poema como sempre, adorei.

    "A poesia é mais fina e mais filosófica do que a história; porque a poesia expressa o universo, e o história somente o detalhe." (Aristóteles)

    Bjs do tamanho do infinito
    Maria

    ResponderExcluir