Pesquisar este blog

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Fernandinha, dançava e agitava meu coração...




Naquele dia a festa estava animada Fernandinha, dançava e agitava meu coração, meu olhar não deixava de modo algum de admirar a beleza escultural da moça, de vez em quando nossos corpos maldosamente, sem ninguém perceber, roçavam um no outro, minha pele ouriçava ao sentir o calor ardente daquela jovem gazelinha saltitante, o grupo de Fernandinha era especialmente diferente do meu, que tipicamente parecia um bando de tios e tias a esperar apenas o final da festa, pelo menos eu tinha um objetivo maior, de algum modo tocar, acariciar nem que fosse um pouquinho a deliciosa pele de Fernandinha, ela usava um t-shirts branco com uma blusinha branca com dois botões generosamente abertos que deixavam livres seus atributos femininos, ela era o símbolo da liberdade juvenil, eu a simbologia do desespero masculino, o marido da moça em momento algum abandonava seu troféu, dançava num ritmo alucinado e tresloucado...
Estava distraído recostado ao balcão do pub quando percebi que minha pele ouriçava-se em um forte arrepio, senti um ronronar ao meu ouvido, _ Tio, que saudade, vai lá fora só um pouquinho...
Meu coração disparou, minh’alma agitou-se tal qual bandeira em vasto temporal, fui saindo lentamente meio desconfiado de que algo de errado parecia acontecer, não sei porque quando a esmola é em demasia o próprio santo vem a desconfiar, lá chegando uma visão contemplativa iluminava meu olhar, Fernandinha encostada á porta do carro, -Tiiio, que bom, estava com saudade daquele nosso encontro em Copacabana, tu desapareceu...Viajei, fui ao sétimo céu e voltei, custei a crer na bondade dos deuses, enlacei Fernandinha num enlace triunfal, um abraço de vitória em final de mundial, senti todo o calor daquele corpo juvenil a absorver-me como um todo, deixei minha mão descer, descer e percorrer todos os espaços possíveis numa verdadeira corrida por prazeres, alucinantes e festivos da carne, Fernandinha contorcia seu corpo colado ao meu, seus beijos verdadeiras fontes de calor e sabores mil, assim ficamos até decidir que nossas energias precisavam de um descanso no macio dos bancos de couro de nosso belo carro, entrando repousamos ao som de uma musica suave, delicada, parecia Frank Sinatra em sua perfeita harmonia, _Tio, tu é um sonho, um delírio, posso ficar aqui mais um pouquinho? Beijamo-nos com sofreguidão e decisão de dois saudosos amantes, deixamos nossas mãos entrelaçadas cair em meu colo, Fernandinha sentia com carinho a vibração da minha paixão por ela, contorcia-se com sua força juvenil, aos poucos nos abandonamos no prazer maior que dois amantes podem viver após uma longa ausência e um inesperado reencontro....Longe, bem ao loge escutávamos por alguém que chamava, _ Fernanda, amoreco, por onde andas? Na proteção do insufilme Fernandinha abraçava-se ao meu corpo sem deixar espaço para duvidas, eram um corpo só, cheio de amor e de promessas era só, saímos lentamente e lentamente adentramos em meu apartamento da avenida Praia de Belas que estava ornado para um encontro fortuíto, não contava ele, em receber o explendor juvenil de Fernandinha, não naquela noite, mas a vida por veses pode ser até para um tio...maravilhosa, porque não?

Por; wCASTANHEIRA A volta de Fernandinha a pedido do meu amigo e leitor Gamba, um admirador dos contos de Fernandinha, viu? O horário não permite ir muito além, mas vc pode, viajar, delirar com Fernandinha. Pra vcs bjos e bjos.

10 comentários:

  1. Boa noite querido....
    Lindo de viver seu conto...aqui é sempre tudo muito delicioso....
    Tenha uma noite deliciosa meu querido...bjs carinhosos...

    ResponderExcluir
  2. Uauuuuuuu arrasou no conto......cuidado com a censura heim?kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Beijos querido.

    ResponderExcluir
  3. Essa Fernandinha... é danadinha! rsrsrs
    Beijos, querido e bom FDS!

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Hoje venho aqui para te convidar para participar do amigo oculto do Mix.
    Passa lá:
    http://www.mixculturainformacaoearte.com/2010/11/amigo-oculto-de-livros-segundo-ano.html
    Te espero!

    ResponderExcluir
  5. Hum... ainda bem que não foi igual ao Tio da Sukita, né?! rs
    Adorável e sensualíssimo texto...
    Um final de semana bem caliente pra vc, amigo!
    Bj
    Helô

    ResponderExcluir
  6. Uma delicia sua história, vc leva a mulher ao deliria, sb como pouquíssimos o caminho do romantismo, do lirismo feminino, encanta-me seu modo delicado de ir penetrando, invadindo a área feminina, acho q o tio merece a conquista, na certa o marido desta musa não sabia como agrada-la tão bem qto aum bom tio, pra vc tio, um docinho beijo.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do conto... paixões proibidas sempre são mais emocionantes. Grande beijo

    ResponderExcluir
  8. Adorei o conto, rs...o desenrolar aqui em minha mente foi delirante, claro que eu era a Fernandinha...rsrs
    Bjs pra vc!
    Agradecida pela visita
    Mila

    ResponderExcluir
  9. Querido

    Tudo o que vc escreve traz seu carisma, sua energia, seu estilo único.
    Vc nos apresenta situações e personagens que invadem e dão cores à nossa imaginação.
    Cada visita sua ao meu blog é uma revoada de pássaros, no final da tarde, enchendo de alegria a paisagem. Muito obrigada !
    Carinho e beijo
    Fátima Guerra

    ResponderExcluir