Pesquisar este blog

sábado, 14 de novembro de 2009

A rotina de Fernandinha...

Naquele dia, ele admirava a beleza especial de Fernanadinha, estava profundamente linda, usava um baton rosa, delicado, sua boca era uma pelo ao delírio, procurava na profundidade dos sentidos ver o motivo pelo qual fazia-o perder o seu próprio sentido, invertendo valores, lutando contra desejos e suores, assim como seus ímpetos perdidos em vontades imaginadas, aproxima seu corpo ao corpo esguio, pele dourada, cabelos macios em mechas amarelinhas, chega a uma distância entre eles de apenas um fio de ar, deseja sentir o aroma daquela mulher, a temperatura sobe, o escritório parece transformar-se num ninho de amor, a porta parece selada apesar da fechadura apenas encostada, as câmeras de filmagem não contam, não existem para ele, a tesão não o deixa perceber certas lógicas e formalidades de uma grande empresa, quer sentir, quer viver o momento em que irá ancorar naquela beleza escultural, Fernandinha, perde as forças deixa-se encostar à um canto como que, a se proteger de um ataque suicida, sabe o risco que corre quando aquele furacão aproxima-se dela, mas não sabe ela como nem se quer fugir, das delicias de um namoro às escondidas, de um amasso furtivo num cantinho do escritório, fica ali um pouco de história, fica ali a marca de uma imensa e louca paixão, ele vai aos poucos, ancorando, deixando-se ficar a um milímetro dela, apenas preso ao olhar da loirinha linda, seu rosto sente o calor da respiração ofegante, assustada com a possibilidade de um flagrante, mas extasiada com a relativa maravilha de um delirante momento, as mãos dele estendem-se como pássaro selvagem descobrindo, consumindo a pele macia da sua musa, num tangente delicioso ato desce da cabeça ao busto, ele sabe que isto excita o libido fogoso dela, passando delicadamente por entre seu rosto lindo e suave, detém-se um pouco para que ela possa saborear a delicia do seu polegar naquela boca quente, ela delicia-se viaja em pensamentos mágicos, arrepia-se de tanta excitação, vai aos poucos sentindo o mais profundo dos calores, o calor da vontade quase incontrolável, a tênue luz solar invade a janela aberta frontal ao mar, eles aos poucos vão se recostando pra lá, a vista é romântica do famoso sétimo andar, agora os dois admiram-se em frenéticos movimentos de amor, as bocas deixam os lábios entreabertos, um vento leve e fresco inunda o ambiente aquecido de tanto calor humano em desejos reprimidos, num atmo de segundo o corpo dele ancora em Fernandinha, num toque sutil, mas perene, como um barco que roça suave no cais, ali ficam eles, estendem-se em contorções maravilhosas, ele abraça cada pedaço dela, parecem os dois quererem buscar a mágica fórmula da fundição de dois corpos, todos os sentidos entram em erupção naquele vulcão apaixonado, derrama um suor agonizante de tesão, vibra em arrepios de profundo prazer, abafam os gemidos que a loucura do amor os faz liberar, os dois vão ao etéreo celeste, numa sincronia perfeita e deliciosa de prazer, ficam assim, por momentos ligados um ao outro, fundidos, colados, penetrados, suados pela essência do amor que acabaram de cometer, ele carinhosamente alisa aquela face branquinha,ela carinhosamente saboreia seu dedo molhado, ele acomoda seu cabelo dourado, comenta sobre a beleza da paisagem e a beija demorado, os lábios soltam-se saciados dos desejos ardentes, como se fosse o caminho para o céu, deixando aos poucos seu corpo desencaixar-se daquela deliciosa beldade loira, a tempo voou, a empresa parece ter parado, o mundo lá fora andou, ele suavemente percorre os trilhos delicados do corpo dela enquanto mais uma vez se recompõe de um momento que só a magia do amor pode justificar, o mundo segue comprando, vendendo, os telefones continuam tocando, as reuniões continuam acontecendo, ele volta à sala com um jeito de mais feliz, ela fica com um jeito de quero mais, é sempre assim , ele chega como fogo e se vai como cinza, ela recebe-o como rei ele a deixa pensando ter satisfeito à rainha, mas jamais arrisca perguntar, _foi bom pré você? Terá ele medo da resposta? Sei lá, nos escritórios do país da poesia acontece cada coisa...
Por Wcastanheira Num momento em que Fernandinha estava pedindo, uma atenção especial, para minha linda e vocês, este carinho, bjos, bjos.

10 comentários:

  1. Parabéns! Vc escreve maravilhosamente bem ;DD
    Adorei o comentário que vc deixou la no meu blog \o Muito obrigada xD
    Bjss ;*

    ResponderExcluir
  2. Texto muito bonito...gostei muito
    Beijos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  3. uau! to de queixo caido, e adorei o nome da personagem ai.

    bjosss...

    ResponderExcluir
  4. Vc escreve muito bem amigo.

    Um domingo maravilhoso pra vc.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  5. Castanheira!!
    Meninoooo qta inspiração einh???
    Que texto bonito!!
    Fernandinha einh??? Mas que tal???? rsrsrsrsr
    Guriazinha sapeca!!!

    PS> Já respondi tua pergunta lá no Blog!!
    Vai lá ver...e tem umas pergunta pra tu!!

    Bom findi

    Bjos no ♥

    ResponderExcluir
  6. óTimo texto! você escreve muito bem mesmo! as palavtas se encaixam sem nenhuma dificuldade.
    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  7. Oie...

    Adorei...
    Adorei a Fernandinha !!! Belo nome !!! rsrs
    Uma ótima semana !!!

    Bjos, Bjos, Bjos ...

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pelas suas palavras,lá no meu canto!
    Lindo o seu texto...
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  9. cuidado com o excesso de descrição, é dispensável, torna o texto cansativo de se ler.

    beijos!

    ResponderExcluir